Notícia

Filipa Sáragga

Estar deprimido não é um luxo. É uma doença!

13.03.2017 12:05 por Filipa Sáragga
Em Portugal, acontecem por ano 1.200 suicídios. Por isso, se uma pessoa que lhe é próxima estiver deprimida, jamais a julgue, jamais a chame caprichosa ou diga que "é uma fase"
Foto: Sábado

Existem pessoas que acham que jamais teriam tempo para ter uma depressão, e que esse é um luxo ao qual alguns se dão. Existem também pessoas que acham que se alguém for rico, bonito, inteligente e tiver saúde, estar deprimido não passa de um capricho.

A depressão não é uma escolha nem tão pouco um capricho; é uma doença como todas as outras e deve ser respeitada tal como todas as outras.

Esta doença afecta grande parte da população mundial e não escolhe nem estatuto social nem idade. A depressão atinge actualmente proporções inimagináveis: sabe-se que uma em cada quatro pessoas sofre deste mal.

A depressão atinge actualmente proporções inimagináveis

pub

As pessoas deprimidas vivem uma situação constante de desinteresse, de tristeza prolongada e de falta de energia. A depressão pode durar anos e, se não for tratada devidamente, pode-se arrastar indefinidamente.

Sabemos que, só em Portugal, acontecem por ano 1.200 suicídios. Por isso, se uma pessoa que lhe é próxima estiver deprimida, jamais a julgue, jamais a chame caprichosa ou diga que "é uma fase", porque essa pessoa está doente, pode estar a precisar da sua ajuda e necessita de cuidados médicos.

Uma das maiores consequências desta doença é causar nas pessoas uma enorme falta de autoestima, pelo que se sentem inúteis e mal-amadas. Posteriormente, perdem o interesse por todas, ou quase todas, as actividades e, em casos mais graves, podem até manifestar delírios ou alucinações.

Esta minha crónica, A Princesa Azul na Vida Real, tem por objectivo inspirar as pessoas a terem ânimo e esperança. Porque enquanto há vida, há esperança. E mesmo quando tudo parece acabado, esse final pode ser apenas o início de muita coisa.

pub

Steve Jobs tinha tudo para ser uma pessoa derrotada. No entanto, soube dar a volta por cima e tornou-se, como se sabe, o CEO da empresa de tecnologia mais valiosa do mundo, a Apple.

Steve Jobs era filho de uma mãe solteira e foi entregue para adopção poucas semanas após o seu nascimento.

Ainda bebé, foi rejeitado logo na primeira tentativa de adopção. Mais tarde, acabaria por ser adoptado por um outro casal.
Quando fez 17 anos, Jobs entrou no Reed College, mas desistiu da faculdade 18 meses depois.

Numa célebre conferência na Stanford University, Jobs explicou que não lhe agradava que os seus pais adoptivos gastassem todos os seus rendimentos para lhe pagarem os estudos, estudos estes que ele até considerava desnecessários para os planos que já tinha na cabeça.

pub

Jobs explicou que não lhe agradava que os seus pais adoptivos gastassem todos os seus rendimentos para lhe pagarem os estudos

"Graças às aulas de caligrafia (na faculdade), passei a conhecer o design, que fez toda a diferença na história da Apple. Tive a sorte de descobrir cedo o que gostaria de fazer na vida. Conheci Steve Wozniak e começámos uma empresa totalmente inovadora. Mais tarde, fui demitido da empresa que eu mesmo criei. Fui rejeitado, mas continuei apaixonado (pela Apple)."
Já fora da Apple, Jobs casou-se com Lorena, e fundou a Pixar e a NeXt. Esta última empresa acabaria por ser comprada pela Apple em 1996, assegurando assim o regresso de Jobs à companhia. "Ser demitido foi a melhor coisa que me aconteceu."

É por isso que digo que mesmo quando uma pessoa está no "fundo do poço" e pensa que já não há solução, porque acha que não será capaz de continuar, esse "fundo do poço" é muitas vezes um sinal do corpo e da mente a dizer que está na altura certa de recomeçar e de lutar por aquilo em que se acredita.

pub

O que uma pessoa deprimida não pode nunca deixar de fazer é de acreditar que, se lutar, ficará bem e que será feliz. Para isso, essa pessoa terá de se tratar e de aprender a tirar todo o bem do mal, toda a alegria do sofrimento. Mesmo tendo sido rejeitada, essa pessoa deve acreditar que não é nem uma nem duas, nem três derrotas que podem condicionar a felicidade de uma vida inteira.

Porque eu acredito que felizes são aqueles que sofrem, porque valorizam a felicidade a triplicar.

Steve Jobs diz ainda que após sua decepção com a saída da Apple só seguiu em frente por que era apaixonado pelo que fazia. "Só consegues seguir em frente quando amas alguma coisa de verdade. Eu nunca perdi a fé", disse ele. 

pub

Só consegues seguir em frente quando amas alguma coisa de verdade.
(Steve Jobs)

A fé pode tornar-se o maior alicerce na vida das pessoas que sofrem. Porque se elas acreditarem que Deus lhes dá e que Deus permite que lhes seja tirado, é porque, nos Seus desígnios, aquilo não é o que faria essa pessoa feliz e o melhor está para vir.

Não deixar de ter fé poderá ser a solução de muitos problemas e angústias.

Steve Jobs é um exemplo de fé, de luta, de esperança e perseverança.
"Lembrares-te de que vais morrer faz-te focar a tua atenção nas coisas realmente importantes", disse ele, quando foi informado de que tinha um cancro no pâncreas.

pub

"A morte é a melhor invenção da vida. Ela tira o que é velho do caminho e abre espaço para o novo."
Na conclusão de seu discurso, Jobs diz que não há razão para não seguir o que o seu coração pede que seja feito.

A todas as pessoas que sofrem de depressão ou que estão a ficar deprimidas, conto-lhes esta história, que é uma de muitas, para que acreditem que, enquanto estão vivas, a felicidade procura por elas.


pub
pub