No papel está muito bem
Ana Rita Cavaco
23 de setembro de 2020

No papel está muito bem

O plano de ataque definido pelo Governo está, em traços gerais, bem desenhado. Destaco a importância do reforço da testagem para os profissionais de saúde, uma exigência antiga da Ordem dos Enfermeiros. A grande dúvida é se teremos, ou não, a capacidade para colocá-lo no terreno.

Precisamos de ser mais claros e coerentes naquilo que dizemos às pessoas. Se houve coisa que falhou desde o desconfinamento foi termos deixado crescer na opinião pública, por culpa das autoridades de saúde e do poder político, a ideia de que há sempre dois pesos e duas medidas. As pessoas barricaram-se nas suas trincheiras ideológicas para defenderem para si próprias a liberdade que limitam aos outros. É neste clima que temos vivido e que descredibiliza a comunicação em saúde, por um lado, e compromete as acções futuras, por outro. Faz lembrar a história do Pedro e do Lobo. Vêm ai tempos muito complicados e precisamos que o País ouça e acredite naquilo que quem lidera tem para dizer.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login