Notícia

Médio Oriente

Estado Islâmico mata 21 membros do exército sírio

11.09.2018 22:00 por Lusa
O grupo terrorista matou 21 membros das forças do regime numa altura em que o EI enfrenta uma ofensiva da aliança árabe-curda contra o seu último bastião no país.
Foto: Getty Images
Foto: Getty Images
Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

O auto-proclamado Estado islâmico (EI) matou 21 membros das forças do regime no sul da Síria, numa altura em que a organização extremista enfrenta uma ofensiva da aliança árabe-curda contra o seu último bastião no país.

De acordo com o director do Observatório Sírio de Direitos Humanos, Rami Abdel Rahman, os 21 membros das forças leais foram mortos na noite segunda-feira numa emboscada em Tloul al-Safa, último reduto da EI na província Soueida, localizado a cerca de 100 quilómetros a sudeste de Damasco, capital do país. Oito jihadistas também foram mortos em confrontos após a emboscada, disse a mesma fonte.

A agência oficial Sana informou nesta terça-feira que ocorreram "intensos combates contra os terroristas do Daesh" (acrónimo em árabe para EI), referindo que "ataques aéreos e disparos de artilharia visaram posições do EI no deserto oriental de Soueida". A região tem sido palco de combates entre jihadistas e forças do regime desde 25 de julho, quando o EI realizou uma série de ataques coordenados na província de Soueida, controlada pelo regime, matando mais de 250 pessoas.

O EI, que conquistou vastas áreas na Síria em 2014, tem sido alvo de várias ofensivas distintas e agora controla menos de 3% do território.


pub
pub