Notícia

Europa

Apenas 11% dos eleitores apoiam o Brexit de May

22.07.2018 17:36 por Diogo Barreto
Estudo mostra que 24% dos inquiridos estariam preparados para apoiar um partido anti-imigração e anti-Islão.
Foto: Dan Kitwood/Getty Images
Foto: Yves Herman/Reuters
Foto: Reuters
Foto: Reuters
Foto: Andy Rain /EPA

Theresa May

Cerca de um em cada dez eleitores apoiam o plano para o Brexit que a primeira-ministra britânica, Theresa May, está a a traçar, mostra uma sondagem do YouGov, revelada este domingo.

De todos os inquiridos (1.668 adultos), apenas 16% dos inquiridos acreditam que May está a fazer um bom trabalho com as negociações, sendo que 34% dizem que Boris Johnson, ex-ministro dos Negócios Estrangeiros, faria melhor. Boris demitiu-se mesmo por não concordar com o plano da primeira-ministra para um soft Brexit. O ex-ministro britânico foi uma das caras do Brexit.

Um quarto dos inquiridos (24%) considera ainda que o presidente norte-americano, Donald Trump, negociaria bem o Brexit.

Na sondagem, 58% dos eleitores conservadores defendem que May devia manter-se na liderança do partido e continuar a lutar, mas 32% gostavam que a primeira-ministra abandonasse o partido. Para uma eventual mudança de líder à frente do Partido Conservador, Boris Johnson é o único que consegue empatar com Jeremy Corbyn, a 38%. 

pub
O estudo apurou ainda que 38% dos eleitores votariam num novo partido à direita que se comprometesse com o brexit, face a 33% que apoiariam um novo partido centrista anti-brexit. 24% dos adultos que responderam disseram ainda estar preparados para apoiar um partido explicitamente anti-imigração e anti-Islão.

Segundo o The Sunday Times, doadores conservadores e aliados de Nigel Farage, o ex-líder do UKIP, estão a angariar fundos para criar um partido a favor de um hard Brexit que procura reunir votos entre estes eleitores que estão insatisfeitos com o partido ConservadorA ajudar estará Steve Bannon, o ex-estratega de Trump, que quer angariar um milhão de libras para criar um movimento de extrema-direita para rivalizar com o Momentum, de extrema-esquerda, ligado ao Labour de Corbyn.


pub
pub