Notícia

Crime organizado

Alex Perry: “A máfia não é uma lenda romântica. É poderosa”

04.09.2018 13:13 por Sara Capelo
Alex Perry nunca ouvira falar na 'Ndrangheta. E nem o governo italiano até há 10 anos, conta o autor de As Boas Mães (agora publicado por cá), apesar de ser uma organização criminosa que faz algo próximo dos 3,5% do PIB daquele país.

Your browser doesn't support HTML5 video.

A 'Ndrangheta, a organização que lucra 3,5% do PIB italiano

Incomodada com a droga que circulava no grande bloco de apartamentos dominado pela ‘Ndrangheta, em Milão – e mais ainda com a violência do marido Carlo contra ela –, Lea entrou com a sua bebé, Denise, numa esquadra. Também filha e irmã de mafiosos, descreveu aos carabinieri os estratagemas e homicídios a que assistira. Foi em 1996. Nas décadas seguintes, o seu testemunho e o de outras duas mulheres, Concetta e Giuseppina, permitiram à procuradora Alessandra Cerreti deter mafiosos ligados a uma até então obscusra organização, a 'Ndrangheta e arrestar-lhes milhões, lê-se no livro As Boas Mães, editado dia 3 de Agosto pela Vogais.

Lea e Concetta foram assassinadas. Giuseppina vive sob protecção, mas tem o alento de os filhos frequentarem a escola. Da última vez que o autor do livro, Alex Perry, 48 anos, soube de Denise, a filha de Lea estava a terminar os estudos.

Leia a entrevista na íntegra na SÁBADO n.º 748, de 30 de Agosto. 

Capa n.º 748
pub


pub
pub