Trump ordenou morte de comandante iraniano. Irão promete vingança

Trump ordenou morte de comandante iraniano. Irão promete vingança
Diogo Barreto 03 de janeiro de 2020

O ataque aéreo foi ordenado pelo presidente dos EUA. Incidente surge numa altura em que a tensão entre ambos os países tem vindo a escalar.

O comandante da força de elite iraniana Al-Quds, o general Qassem Soleimani, morreu num ataque aéreo levado a cabo pelos EUA. O Irão refere que Soleimani foi um dos principais combatentes contra os grupos extremistas do auto-proclamado Estado Islâmico e da Al Qaeda. O Irão já afirmou que se irá vingar e os Democratas acusam Trump de ter tomado uma iniciativa bélica sem ter avisado o Congresso. 

Durante a madrugada, o Pentágono informou que tinha sido o presidente dos EUA a ordenar a morte do comandante da força de elite iraniana. "Por ordem do Presidente, as forças armadas dos Estados Unidos tomaram medidas defensivas decisivas para proteger o pessoal norte-americano no estrangeiro, matando Qassem Soleimani", disse o Departamento de Defesa norte-americano, em comunicado.

No mesmo ataque morreu também o 'número dois' da coligação de grupos paramilitares pró-iranianos no Iraque, Abu Mehdi al-Muhandis, conhecida como Mobilização Popular [Hachd al-Chaabi], indicaram as autoridades. Pelo menos oito pessoas foram mortas no ataque, três dias depois de um assalto inédito à embaixada norte-americana. Trump afirmou que o Irão estava por trás deste ataque. O ataque à embaixada durou dois dias.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais