Pais pedem a enfermeira que adote o próprio filho

CM 03 de março de 2019

Pais não tinham hipótese de cuidar do menino que nasceu com uma condição cardíaca rara.

Por Correio da Manhã - Correio da Manhã

O pequeno Blaze nasceu com um problema cardíaco congénito designado síndrome do coração esquerdo hipoplásico. Ao terceiro dia de vida, teve de ser submetido a uma cirurgia ao coração e ficar internado no hospital pediátrico OSF, em Illinois, nos EUA. Devido à condição da criança, os pais não podiam estar junto dele, ficando a enfermeira Angela Farnan encarregue de mimar e acarinhar o menino.

Quando foi preciso prolongar a estadia de Blaze no hospital para mais intervenções cirúrgicas, a enfermeira pediu uma procuração para tomar as decisões médicas relativamente ao seu futuro, pedido ao qual os pais acederam. Posteriormente, foi mesmo sugerido pelos progenitores que Angela e o marido adotassem Blaze. E foi assim que o pequeno ganhou uma nova família.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais