"O avião caiu. Depois, tudo o que vi foi fogo", revela sobrevivente

Lusa 23 de maio de 2020
Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 13 a 19 de maio
As mais lidas

Um dos dois sobreviventes do avião que caiu no Paquistão contou no hospital a sua experiência do acidente, da qual escapou cercado por fogo e gritos dos outros passageiros.

Duas pessoas sobreviveram à queda do avião da Pakistan International Airlines (PIA) que se despenhou em Carachi, no sul do Paquistão, anunciaram este sábado as autoridades paquistanesas.

Paquistão: Autoridades confirmam pelo menos um sobrevivente em queda de avião
Paquistão: Autoridades confirmam pelo menos um sobrevivente em queda de avião REUTERS/Akhtar Soomro
"Havia 99 pessoas a bordo entre passageiros e tripulantes, das quais 97 morreram e duas sobreviveram", disse à agência noticiosa espanhola Efe o porta-voz do comissário de Carachi, Irfan Hussain. Dos 97 mortos, 20 foram identificados até agora por membros da família.

O Exército paquistanês confirmou o número de vítimas na sua conta no Twitter e acrescentou que a operação de resgate continua.

O número de pessoas dentro do avião tem suscitado confusão entre as autoridades paquistaneses: inicialmente disseram que dentro do avião se encontravam 107 pessoas, mais tarde apontaram para 98 e agora indicaram que estavam 99, dos quais 91 são passageiros e sete membros da tripulação.

Irfan Hussain disse ainda que há nove feridos entre os moradores da área residencial Modelo Colónia, onde o avião caiu.

Um dos dois sobreviventes do avião que caiu no Paquistão contou no hospital a sua experiência do acidente, da qual escapou cercado por fogo e gritos dos outros passageiros.

"O avião caiu. Depois, tudo o que vi no avião foi fogo. Não vi pessoas", disse Mohamed Zubair à televisão paquistanesa Geo na cama do hospital, onde está a recuperar do acidente. "Ouvi gritos em todas as direções. Gritos de crianças, adultos e idosos", continuou o paciente.

Zubair explicou que, após a colisão, tirou o cinto de segurança e foi até um ponto de luz que via. "Fui para a luz e tive sucesso. Tive que saltar cerca de três metros para sair" do avião, disse.

Zubair disse que quando se estavam a aproximar de Carachi, o piloto anunciou que iam aterrar, mas abortou a operação e tentou novamente 10 ou 15 minutos depois, sem sucesso.

A catástrofe acontece alguns dias após o Paquistão ter autorizado o recomeço dos voos comerciais internos. Durante mais de um mês, as ligações domésticas estiveram suspensas para evitar a propagação do novo coronavírus e realizaram-se raros voos internacionais.

O pior acidente de viação nos últimos anos no Paquistão ocorreu em 2010. Um Airbus 321 do da empresa privada Airblue, voando de Carachi para Islamabad, caiu nas colinas pouco antes de aterrar na capital, matando as 152 pessoas a bordo.
Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais