China: segundos filhos já são metade dos nascimentos

Lusa 31 de outubro de 2016
Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 8 a 14 de abril
As mais lidas

Números da primeira metade do ano revelam que houve um aumento de 6,9% em relação ao ano anterior

Entre os bebés que nasceram na China, na primeira metade do ano, 44% são segundos filhos, avançou hoje a imprensa oficial, no primeiro ano em que o país permite aos casais ter mais que uma criança, desde 1980.

Os dados, difundidos pela Comissão Nacional da Saúde e Planeamento Familiar, representam um aumento de 6,9%, face ao ano anterior, e de 16,7%, quando comparado com 2010, destacou o jornal China Daily.

Em algumas regiões do país, sobretudo nas principais cidades, a proporção de segundos filhos é já superior a 50%, detalhou a mesma fonte.

Os responsáveis do organismo chinês encarregue de implementar as políticas de natalidade afirmaram que a percentagem deverá ser maior no final do ano, já que a "política dos dois filhos" entrou em vigor oficialmente em Janeiro de 2016, depois de muitas das crianças que nasceram na primeira metade do ano terem sido já concebidas.

Já em 2013, a direcção do Partido Comunista Chinês decidiu aliviar a política "um casal, um filho", permitindo aos casais em que ambos os cônjuges são filhos únicos ter um segundo filho.

Pelas contas do Governo chinês, a abolição daquela política permitirá aumentar em 30 milhões a população em idade activa, em 2050.

Com 1.374 milhões de habitantes - cerca de 18% da humanidade - a China é o país mais populoso do mundo.
Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais