A bicicleta de Giulio já chegou aos pais. A verdade sobre o seu homicídio não

A bicicleta de Giulio já chegou aos pais. A verdade sobre o seu homicídio não
Leonor Riso 26 de janeiro de 2020

Há quatro anos, Giulio Regeni desapareceu no Egito. Itália acredita no envolvimento dos serviços secretos na morte do jovem investigador de Cambridge.

Quatro anos depois, a bicicleta de Giulio Regeni voltou às mãos dos pais. Mas falta-lhes ainda a verdade sobre a morte do investigador italiano da Universidade de Cambridge, cujo corpo foi encontrado mutilado no Egipto. Regeni encontrava-se no Cairo a investigar sindicatos independentes, como parte do seu doutoramento em Cambridge.

"Esta bicicleta é o símbolo da tenacidade, de andar para a frente, do empenho e da determinação", garantiu Paola Deffendi, a mãe de Regeni, numa cerimónia que marca o aniversário da morte do filho.


Giulio Regeni tinha 28 anos. Desapareceu a 25 de janeiro e seria encontrado numa vala ao lado de uma estrada a 3 de fevereiro de 2016. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais