Notícia

EUA

O infinito mistério sobre o desaparecimento de Amelia Earhart

06.07.2017 16:00 por Rute Azevedo com Cátia Andrea Costa
Uma fotografia recém-descoberta lança a especulação de que Amelia Earhart e Fred Noonan sobreviveram à sua última viagem
Foto: Getty Images
Foto: Getty Images
Foto: Getty Images
Foto: Getty Images
Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

O mistério sobre o desaparecimento da piloto tem cativado o público desde que o seu avião desapareceu sobre o Oceano Pacifico em 1937 enquanto tentava ser a primeira mulher piloto a voar à volta do mundo.

Investigadores acreditam que descobriram a prova que apoiaria décadas de teoria de que Earhart e Fred Noonan teriam sido capturados pelos japoneses: uma fotografia recém-descoberta nos Arquivos Nacionais aparentemente mostra Earhart e Noonan, bem como o seu avião, nas Ilhas Marshall.

"Enquanto não tivéssemos a fotografia autenticada eu estava muito céptico", diz Shawn Henry, ex-director executivo assistente do FBI que agora está a ajudar na investigação privada sobre o desaparecimento de Amelia Earhart.  "O facto da fotografia ter sido encontrada nos Arquivos Nacionais em vez de ser encontrada na garagem de alguém, fez-me acreditar que fosse real."

A fotografia foi encontrada há alguns anos, por Les Kinney, ex-agente do Tesouro dos EUA, no Arquivo Nacional num ficheiro que se encontrava mal datado e que se dedicou à investigação sobre o desaparecimento de Amelia quando se reformou, informa o jornal norte-americano Washington Post.

Henry conta que a fotografia foi esquecida entre outras 20 ou 30 fotografias até que Kinney a encontrou.

pub

Na foto, vê-se uma mulher com um corte de cabelo e figura semelhante à de Amelia perto das docas, afastando-se da câmera, ressalta Henry. Um pouco mais para o lado esquerdo das docas está um homem que os investigadores acreditam tratar-se de Fred. Do lado direito da foto está um barco com um avião que acreditam ser o de Earhart.

Amelia

Convidado para fazer parte da investigação há cerca de um ano, Henry conta que dois especialistas em análise de fotografias verificaram se a fotografia havia sido manipulada e concluíram que não. Foi feita também uma comparação das características faciais e corporais presentes na fotografia com outras conhecidas de Earhart e Noonan.

Para o homem à esquerda, "a linha do cabelo é a característica mais definida", disse Ken Gibson, um especialista em reconhecimento facial que observou a imagem, no programa "Today". "O nariz é muito proeminente. Acredito que estas características suficientes de que se trata de Fred."

A figura parada nas docas com calças brancas assemelha-se muito à forma como Amelia costumava andar vestida, notou Henry.

pub

"Eu olho para a figura parada nas docas e penso: É ela!", diz ele.

Apesar de não terem a certeza da altura em que a foto foi tirada, não há regista de que Earhart tenha estado nas ilhas Marshall.

Henry conta ainda que viajou para as ilhas Marshall para falar com o filho de um pai que disse repetidamente aos outros que testemunhara à aterragem do avião nas ilhas em 1937. Falou também com a última pessoa viva que afirma ter visto Amelia e Fred após a sua aterragem de emergência.

"O que é que lhe aconteceu então? Alguém queria esconder alguma coisa? O governo dos EUA teve conhecimento? O que é que o governo Japonês sabia?",  questiona Henry. " Eu acredito que isto levanta uma nova linha de questões"

Nos últimos 80 anos, três teorias têm prevalecido sobre o desaparecimento de Earhart.

pub

Existem especulações de que o Lockheed 10 Electra de Earhart se despenhou e afundou no Oceano Pacifico, matando a piloto bem como Fred.

O ano passado, um grupo sediado na Pensilvânia com o nome de The International Group for Historic Aircraft Recovery (TIGHAR) defende uma teoria alternativa: como o combustível se esgotou rapidamente, Earhart e Noonan usaram a navegação celestial para aterrar num atol remoto chamado Gardner Island, cerca de 400 milhas a sul de Howland Island, o seu destino original. Segundo a TIGHAR, foi ali que os dois tentaram enviar pedidos de ajuda mas acabaram por morrer como náufragos.

No último mês, o grupo lançou-se numa expedição ambiciosa para tentar provar a sua teoria, enviando investigadores e um grupo de cães treinados para Gardner Island, agora conhecida como Nikumaroro. A missão consistia em que os cães detectassem, através do faro, vestígios de DNA que comprovassem que Amelia e Fred tivessem aterrado e morrido na ilha.

Henry confessa que não o incomoda que sejam feitas outras investigações sobre o desaparecimento de Earhart.

"Eu conheço algumas das outras teorias. Quando você observa a totalidade das coisas que fomos descobrindo e depois olha para a fotografia… Eu acho que esta fotografia é a prova de que este caso com 80 anos ainda tem muita por investigar."

pub


pub
pub