Crítica de cinema: Coco

Este é "o melhor filme produzido pela Pixar desde Divertida-mente", escreve o crítico do GPS, Tiago R. Santos, que lhe atribui 4 estrelas

Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 21 a 27 de janeiro
As mais lidas GPS
Tiago Santos 28 de novembro de 2017

Coco, a história de um rapaz mexicano que deseja ser músico numa família de sapateiros na qual as melodias foram proibidas, é o melhor filme produzido pela Pixar desde Divertida-Mente (2015). É tão encantador, rico e detalhado na sua construção da mitologia do Dia dos Mortos - um universo em que a herança cultural serve como exploração de temas universais (morte, memória, família) - que se torna fácil perdoar ao estúdio de animação todas as inócuas sequelas de Carros.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
A Newsletter Semanal Gps no seu e-mail
A GPS indica-lhe as melhores sugestões de fim de semana. Receba todas as semanas no seu email. (Enviada semanalmente)