Crítica de cinema: 6 dias

Fraser contenta-se em seguir, com eficácia mas sem verve, a escalada da tensão e o papel das forças especiais dos SAS

Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 6 a 12 de maio
As mais lidas GPS
Crítica de cinema: 6 dias
Pedro Marta Santos 16 de setembro de 2017

Não tendo visto qualquer das anteriores longas-metragens do neozelandês Toa Fraser (assinaria entretanto episódios de Penny Dreadful e Into the Badlands), só posso presumir que a desenvoltura da câmara e algum sentido de ritmo já marcassem os primeiros trabalhos. Mas também já lá deviam estar uma certa lassitude, uma incapa-cidade de acrescentar espessura aos personagens e várias hesitações no tratamento do suspense.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
A Newsletter Semanal Gps no seu e-mail
A GPS indica-lhe as melhores sugestões de fim de semana. Receba todas as semanas no seu email. (Enviada semanalmente)