A escrita viciante de Leila Slimani chegou a Portugal

O romance Canção Doce já chegou às livrarias. É uma tragédia social escrita pela autora franco-marroquina, que explica ao GPS porque decidiu "escrever sobre uma ama"

Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 15 a 21 de abril
As mais lidas GPS
A escrita viciante de Leila Slimani chegou a Portugal
Ângela Marques 28 de maio de 2017

Louise é a ama perfeita - e é nessa perfeição que germina a sua perversão. Personagem principal de Canção Doce, é por causa dela que este livro começa com um murro no estômago daqueles que deixam água na boca: "O bebé morreu. Bastaram alguns segundos. O médico garantiu que ele não sofreu. Deitaram-no dentro de um saco cinzento e fizeram deslizar o fecho de correr sobre o corpo desarticulado que boiava no meio dos brinquedos. Quanto à menina, ainda estava viva quando chegaram os serviços de emergência." Recuperados do primeiro impacto, percebemos que é assim que Leila Slimani nos apresenta Louise - com aquilo que a ama acaba de fazer. Nós? Nós lemos 216 páginas de uma vez como se, pela sofreguidão, nos conseguíssemos livrar dela mais facilmente.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
A Newsletter Semanal Gps no seu e-mail
A GPS indica-lhe as melhores sugestões de fim de semana. Receba todas as semanas no seu email. (Enviada semanalmente)