Crítica de artes plásticas: Modernismo Brasileiro na Fundação Edson Queiroz

Fique com a crítica de Carlos Vidal sobre a exposição “Modernismo Brasileiro na Coleção da Fundação Edson Queiroz”

Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 22 a 28 de abril
As mais lidas GPS
Carlos Vidal 22 de janeiro de 2018

Esta exposição permite-nos acompanhar o nascimento do modernismo no Brasil e seus conflitos: persistências figurativas, contactos tardios com as vanguardas europeias (que gerariam originalidades interessantes), experimentalismos que avançavam e recuavam (Lasar Segall, omnipresente, e Anita Malfatti), conflitos entre figuração e abstracção (Di Cavalcanti e Bruno Giorgi ou Volpi) e conflitualidade dentro da própria abstracção (o Grupo Ruptura e o Grupo Frente), bem como as acções de críticos como Mário Pedrosa e Ivan Serpa.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
A Newsletter Semanal Gps no seu e-mail
A GPS indica-lhe as melhores sugestões de fim de semana. Receba todas as semanas no seu email. (Enviada semanalmente)