Crítica de Cinema: Matthias e Maxime, de Xavier Dolan

O último apeadeiro de uma viagem cada vez menos excitante, escreve o crítico de cinema da SÁBADO

Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 13 a 19 de maio
As mais lidas GPS
Crítica de Cinema: Matthias e Maxime, de Xavier Dolan
Pedro Marta Santos 03 de julho de 2020

Onze anos depois, por onde anda uma promessa incandescente chamada Xavier Dolan? Estreado na realização de longas-metragens com uns incríveis 20 anos graças ao autobiográfico, psicanalítico e interessante Como Matei a Minha Mãe (2009), o canadiano Dolan foi ascendendo na escala de prestígio internacional à medida que a energia melodramática se ia extinguindo como uma supernova.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
A Newsletter Semanal Gps no seu e-mail
A GPS indica-lhe as melhores sugestões de fim de semana. Receba todas as semanas no seu email. (Enviada semanalmente)