Notícia

Teatro

A fuga pela vida sobe ao palco

11.09.2018 20:00 por Pedro Henrique Miranda
Baseada em depoimentos de refugiados e executada enquanto teatro físico, a peça Linhas de Fuga pretende-se uma exploração do fenómeno da partida imposta
Foto: D. R.

No cais, uma mulher prepara, com remorso no olhar, as malas para uma partida sem retorno. No meio do conflito, um soldado recorda, angustiado, a filha cujas feições já não reconheceria. São apenas dois dos episódios de Linhas de Fuga, a peça de teatro físico que estreia esta quinta-feira, 6, no Teatro do Bairro, em Lisboa, com encenação de Pablo Fernando.

Este conjunto de pequenas vinhetas situacionais, ligadas por performances coreográficas, pretende-se, nas palavras do encenador, "uma exploração da separação, não voluntária, mas imposta". Para tal, inspiram-se "no formato do cinema de animação, curtas-metragens e contos", e não se coíbem de empregar o nu ou a violência para transmitir, em palco, os "depoimentos reais de pessoas que lidaram de perto com essa fuga - refugiados, náufragos, ou voluntários".

Uma peça que "aponta mais ao impacto sensorial do que a uma lógica narrativa", e que, entrecortando o português com passagens de inglês, francês ou alemão, alerta para o facto de este ser "um problema transnacional, inerente a todos os povos".


pub
pub