Pais que não podem fazer teletrabalho recebem 66% do salário base

Jornal de Negócios 13 de março de 2020

O apoio foi descrito, embora em termos ainda genéricos, pela ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho. Quem não possa fazer teletrabalho tem um apoio de 66% do salário base.

Os trabalhadores que não possam fazer teletrabalho por causa do encerramento das escolas vão ter direito a um apoio que garante 66% do salário, segundo anunciou a ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho.

No final de uma reunião de Conselho de Ministros que terminou há pouco, Ana Mendes Godinho garantiu que as faltas serão justificadas - não contando, por isso, para os limites de um eventual despedimento - mas que garantem apenas 66% do salário.

O comunicado do Governo, que também confirma outros apoios às empresas, precisa que esses 66% se aplicam sobre o salário base, excluindo outros subsídios ou complementos que frequentemente representam uma parte revelante da retribuição global. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais