Os negócios do Airbnb mais rentáveis do País

Os negócios do Airbnb mais rentáveis do País
Bruno Faria Lopes 26 de agosto de 2017

Não têm formação em hotelaria, mas prestam um serviço de cinco estrelas - e gerem as casas que mais vendem

O estúdio que mais factura em Portugal no Airbnb tem vista sobre os telhados do Chiado, no coração de Lisboa. O Chiado Loft 1 Terrace Amazing Apartment, como é vendido na plataforma de alojamento local, arrecada cerca de 37 mil euros por ano. É um dos 21 apartamentos geridos exclusivamente para alojamento local pela empresa de Pedro Magalhães, 41 anos, autor do desenho das casas, da reabilitação à respectiva decoração. Alguns guests, como Pedro faz questão de chamar aos hóspedes, gostam tanto do que vêem que lhe pedem para fazer os projectos de reabilitação das suas casas. "Já recebi propostas de 15 a 20 pessoas", conta (recusou-as todas).

Ao lado da decoração reina um padrão de limpeza cinco estrelas: a pequena empresa tem a sua própria lavandaria, com um funcionário dedicado apenas a esse serviço, e mais cinco para a limpeza de apartamentos como o Chiado Loft 1. Com a reserva confirmada, os hóspedes são informados por email das opções para chegar à casa, do que há para fazer na cidade, dos restaurantes onde a equipa de Pedro pode marcar-lhes uma mesa. Quando chegam têm alguns mimos à sua espera - uma garrafa de vinho tinto português, sabonetes de leite de burra Tomelo, laranjas, cápsulas de café - e a disponibilidade total da equipa de Pedro. "É importante saberem que estamos presentes", explica. O estúdio custa 156 euros por noite - o preço vai mudando consoante as condições de mercado - e em Julho já só tinha dois dias disponíveis.

A Chiado Lofts & Studios de Pedro Magalhães não tem só o estúdio que mais receita cobra em Portugal - no top 10 da categoria estúdios, compilada pela consultora norte-americana Airdna, tem quatro apartamentos (incluindo os três primeiros do ranking que, juntos, facturam 100 mil euros por ano); na categoria T1 tem outro. As posições de topo nas listas não são um acaso. O negócio de Pedro é um exemplo da elite do profissionalismo no alojamento local em Portugal e tem vários pontos em comum com pelo menos outros dois de gestores ouvidos pela SÁBADO: empresas com equipas jovens, de pessoas não ligadas à hotelaria mas que tratam de todos os aspectos das casas, que gerem mais do que um apartamento e vivem sobretudo desta actividade.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais