Maioria dos diretores quer trabalho presencial e não teletrabalho

Jornal de Negócios 17 de junho de 2020

Seis em cada dez diretores preferem que o trabalho seja feito no escritório. A esmagadora maioria dos trabalhadores (96%) gostava de continuar em teletrabalho após a pandemia. As empresas já estão a incluir o teletrabalho no pacote de benefícios e muitas estão a avaliar como podem cortar custos.

A maioria (59%) dos diretores das empresas preferem que as suas equipas regressem ao trabalho presencial no escritório, contra 96% dos trabalhadores que gostavam de ter a opção de trabalhar à distância após a pandemia, de acordo com os resultados de um estudo divulgado pela consultora Robert Walters, feito junto de 2.500 empresas de vários setores a nível global.

"Entre os principais impedimentos para instituir o teletrabalho na organização após o Covid-19, 62% das empresas têm preocupações com a produtividade dos funcionários, ainda que 44% dos profissionais considerem que a sua produtividade aumentou a trabalhar a partir de casa; e o facto de os diretores preferirem o sistema tradicional de trabalho no escritório (59%), contra 96% dos profissionais que pretendem continuar a ter a opção de teletrabalhar a seguir à pandemia", revela a consultora de recrutamento em comunicado.

Apesar disso, três quartos das empresas admitem garantir teletrabalho a mais trabalhadores após a pandemia e a maioria (73%) tenciona incluir o trabalho à distância no seu pacote de benefícios.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais