A China, os novos donos de Portugal

A China, os novos donos de Portugal
Bruno Faria Lopes 04 de dezembro de 2018

O presidente chinês, Xi Jinping, visita esta terça e quarta-feira Portugal para assinar um total de 19 acordos de cooperação. A influência do capital chinês na economia portuguesa cresceu nos últimos anos.

O presidente chinês realiza, esta terça e quarta-feira, uma visita de Estado a Portugal na qual se irá encontrar com Marcelo Rebelo de Sousa, António Costa e Eduardo Ferro Rodrigues. Durante a estadia, Xi Jinping irá também assinar um total de 19 acordos de cooperação entre Portugal e China "em áreas que vão da cultura à ciência e da agroindústria ao comércio".

O interesse da China em Portugal e a influência do capital chinês nas principais empresas portuguesas cotadas na bolsa tem crescido nos últimos anos. Um exemplo disso é o megaprojecto chinês da Nova Rota da Seda - um investimento de mais de 800 mil milhões de euros em portos, estradas e ferrovia para ligar toda a Eurásia tendo a China no centro.


Desde a vaga de privatizações sob a troika que a China tem sido a cada ano o maior ou um dos maiores investidores na economia portuguesa. Portugal é o décimo no top 10 dos países onde a China mais investiu entre 2000 e 2017, segundo dados da consultora Baker & McKenzie, uma lista onde não há economias do tamanho da portuguesa. Somando os mais de 2.000 milhões de euros aplicados em imobiliário com os vistos gold, o investimento total sobe para cerca de 9 mil milhões, valor que faz de Portugal o segundo país europeu a seguir à Suíça (em que um só negócio de 46 mil milhões de euros distorce os números) em que o investimento chinês tem maior peso relativo na economia: quase 5% do PIB.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais