Coronavírus: clubes italianos ponderam cortar salários

Record 19 de março de 2020

A pandemia provocada pelo novo coronavírus deixou a Serie A com 'a corda na garganta'. Cristiano Ronaldo pode perder milhões.

Os efeitos da pandemia da Covid-19 na economia serão devastadores e os clubes de futebol não escapam à razia. Em Itália, um dos países europeus mais afetados pelo novo coronavírus, fala-se já na possibilidade de os jogadores sofrerem um corte salarial esta época o que, no caso de alguns dos principais craques - como Cristiano Ronaldo - implica a perda de muitos milhões.

O presidente da federação, Gabriele Gavina, já deu uma 'achega' sobre o assunto. "Neste momento de emergência o corte nos salários dos jogadores não é um tabu. Acho que todos temos de nos sentar à mesa. A crise e a emergência aplicam-se a todos e o mundo do futebol também deve ter a capacidade de se unir. Somos chamados para um gesto de grande responsabilidade, para mostrar que solidariedade não é apenas uma palavra", frisou.

"O mundo do futebol está a passar por uma grande crise económica e a federação está comprometida em recolher todos os dados que as ligas individuais estão a processar e depois enviá-los ao governo que, com um decreto-lei, reconheceu o estado de crise no desporto. Antes de sair, no entanto, precisamos renegociar alguns contratos internamente e criar um sistema mútuo. É necessário dar um sinal, demonstrar auto-apoio e solidariedade ", acrescentou.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais