Covid-19: Eurogrupo voltará a reunir-se no prazo de duas semanas

Lusa 23 de abril de 2020
As mais lidas

"Mostrámos que podemos agir rapidamente e apresentar resultados, estamos prontos a fazê-lo de novo", escreveu Mário Centeno.

O presidente do Eurogrupo congratulou-se, esta quinta-feira, com a adoção pelo Conselho Europeu das propostas para a resposta de emergência à crise da covid-19 e anunciou que os ministros das Finanças voltarão a reunir-se no prazo de duas semanas.

Centeno eurogrupo coronavirus
Centeno eurogrupo coronavirus EPA/OLIVIER HOSLET

Em mensagens publicadas na sua conta oficial na rede social Twitter, Mário Centeno, que participou na cimeira de líderes da União Europeia, por videoconferência, destacou que o Conselho aprovou as "redes de segurança" para países, empresas e trabalhadores, num montante global superior a 500 mil milhões de euros, acordadas há duas semanas pelo Eurogrupo, e disse esperar agora que as mesmas estejam operacionais "até 01 de junho" próximo.

Notando que o Conselho encarregou a Comissão Europeia de apresentar com caráter de urgência uma proposta concreta sobre o futuro fundo de recuperação da economia europeia para o pós-pandemia, Centeno indicou então que "o Eurogrupo vai voltar a reunir-se dentro das próximas duas semanas para retomar o seu trabalho neste dossiê".

"Mostrámos que podemos agir rapidamente e apresentar resultados, estamos prontos a fazê-lo de novo", escreveu o presidente do Eurogrupo.

Os chefes de Estado e de Governo dos 27 encarregaram a Comissão Europeia de apresentar urgentemente uma proposta de fundo de recuperação da economia europeia para superar a crise provocada pela pandemia de covid-19, tendo a presidente do executivo comunitário afirmado que a sua intenção é ter pronta uma proposta abrangente -- que inclua o fundo e um 'novo' orçamento da UE para 2021-2027 - "na primeira ou segunda semana de maio".

Aprovado ficou já o pacote de emergência acordado pelos ministros das Finanças, constituído por três "redes de segurança": uma linha de crédito do Mecanismo Europeu de Estabilidade, através da quais os Estados-membros podem requerer até 2% do respetivo Produto Interno Bruto para despesas direta ou indiretamente relacionadas com cuidados de saúde, tratamentos e prevenção da covid-19, um fundo de garantia pan-europeu do Banco Europeu de Investimento para empresas em dificuldades, e o programa "Surre" para salvaguardar postos de trabalho através de esquemas de desemprego temporário.

Segundo o presidente do Conselho, Charles Michel, todos os Estados-membros também expressaram hoje a vontade de que estas "redes de segurança" estejam operacionais dentro de sensivelmente um mês, em 01 de junho.

Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais