Duas cabeleireiras infetadas com Covid-19 trataram 139 clientes. Mas usaram máscara e não houve surto

Duas cabeleireiras infetadas com Covid-19 trataram 139 clientes. Mas usaram máscara e não houve surto
Leonor Riso 16 de julho de 2020

Caso ocorrido em Springfield, nos Estados Unidos, revela importância da utilização de uma máscara facial. Clientes foram atendidas com proximidade física às infetadas.

Como é que duas cabeleireiras infetadas com o novo coronavírus atenderam 139 clientes sem lhes transmitir o vírus? Usando máscara. O caso ocorreu na cidade de Springfield, Estados Unidos, e foi alvo de um relatório do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças dos EUA. 

De acordo com o documento publicado esta terça-feira, dia 14, as cabeleireiras ficaram infetadas em maio, numa altura em que os casos em Springfield eram muito baixos. Um ou dois casos eram registados diariamente, enquanto se procedia à reabertura da economia. Por isso, quando a primeira cabeleireira começou a sentir febre e tosse, pensou que se deviam às alergias e foi trabalhar. Dias depois, uma das suas colegas também ficou doente. 

As duas cabeleireiras continuaram a trabalhar até uma semana depois de sentir sintomas. Uma delas não faltou mesmo quando aguardava o resultado do teste ao novo coronavírus. Ambas testaram positivo e, a partir desse momento, os delegados de saúde começaram o trabalho de contactar 139 clientes. Outras quatro cabeleireiras que trabalhavam no mesmo espaço não ficaram doentes. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais