Ambrosia, apetecia-me sangue para rejuvenescer

Ambrosia, apetecia-me sangue para rejuvenescer
Marco Alves 24 de janeiro de 2020

Empresa norte-americana vende sangue de menores de 25 anos. Público alvo são pessoas com mais de 35.

Contrariar a irreversibilidade do tempo, e da morte, já é uma história demasiado antiga para poder ser contada. As fontes e os elixires da juventude já foram muitos, e a mais recente moda é o sangue de pessoas jovens. Embora não sendo também uma novidade (há relatos de práticas de ingestão vindas da Antiguidade), este "elixir" foi um dos temas mais falados nos últimos meses nos Estados Unidos.

Logo em Maio, a série Silicon Valley trazia o tema à televisão. O episódio 5 (4ª temporada, já exibida em Portugal) chamava-se The Blood Boy (o rapaz do sangue) e trazia uma cena onde um adolescente fazia uma transfusão de sangue para um homem mais velho. A técnica chama-se parabiose, também não é nova na Medicina, mas ganhou um novo impulso nos últimos anos.

Em 2014, um artigo da revista Science dava conta de uma série de estudos em que era possível detectar um rejuvenescimento através de transfusões de sangue de jovens para velhos. Mas não humanos. "Fornecer a ratos velhos sangue de ratos novos pode reverter alguns sinais de envelhecimento. Uma equipa de investigadores [do Harvard Stem Cell Institute] já identificara um factor de rejuvenescimento no sangue que pensa ser em parte responsável pelo efeito de antienvelhecimento num tecido específico - o coração. Agora, a equipa mostrou que o mesmo factor pode também rejuvenescer músculos e cérebro. E outra equipa descobriu que injectar plasma de ratos novos em ratos velhos pode refrescar a capacidade de aprendizagem", resumia a revista.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais