Especiais Especiais C-Studio
Mais informações

C•Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do universo Cofina.
Aqui as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Tudo o que é preciso saber na candidatura à universidade

A candidatura de acesso ao ensino superior será, porventura, o passo mais importante que se dá na vida de estudante. Tudo deve ser bem feito para que não haja falhas no processo. Ajudamos a explicar como

18 Junho 2020 10:39

Depois de terminados os exames nacionais do secundário e conhecidas as notas, está na altura de preparar a candidatura ao ensino superior. Para o fazer, os estudantes devem aceder ao site da Direção-Geral do Ensino Superior (DGES) e efetuarem as candidaturas online.

As candidaturas podem ser realizadas em três fases (ver quadro) pelos alunos com o secundário terminado ou habilitação equivalente, como cursos profissionais de nível 4, por exemplo, e as provas de ingresso pedidas para cada curso efetuadas. Mas aqui ficam algumas informações relevantes para que todos passem com nota alta neste processo.

A candidatura ao concurso nacional de acesso e ingresso no ensino superior público, como supracitado, é apresentada através do sistema online, no portal da DGES. Os estudantes que pretenderem candidatar-se ao ensino superior público devem pedir a senha de acesso ao sistema de candidatura online e apresentar o recibo do pedido de atribuição de senha na escola secundária em que se inscrevem para os exames nacionais, juntamente com o respetivo boletim de inscrição nos exames.

Registe-se que não se podem utilizar senhas de acesso de outros anos para a apresentação da candidatura deste ano. É também importante o candidato saber que pode concorrer a um máximo de seis pares instituição/curso, isto é, a seis combinações de instituições e cursos, indicadas por ordem de preferência.

Em relação ao número de vagas para cada curso em cada instituição são fixadas anualmente pelas próprias instituições, sendo que no caso do ensino superior público estão subordinadas às orientações gerais estabelecidas pelo ministro da Educação e Ciência. Para ter informações de tudo o que precisa de saber deve aceder-se ao site da DGS.

Novas regras no acesso

O surto de covid-19, que levou à suspensão das aulas presenciais em março, obrigou a alterações nas regras no acesso ao ensino superior, tendo o Governo decidido que os alunos fazem os exames exigidos pelos cursos a que se querem candidatar e que essas notas só contam para a média das provas de ingresso, deixando de pesar na classificação final da disciplina.

Os estudantes que já tinham terminado o secundário, perante esta mudança, queixaram-se de serem prejudicados, pelo que haverá novas fórmulas de calcular as médias de acesso também para eles.

Para os estudantes que terminaram agora o secundário, além das classificações dos exames finais que pretendem utilizar como provas de ingresso, "a fórmula de cálculo da nota de candidatura passa a integrar as classificações internas das disciplinas para as provas realizadas este ano pelos candidatos", foi explicado, em abril, pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES).

Para os alunos que acabaram o secundário em anos anteriores, o Ministério prevê duas situações, em que a regra é o estudante ficar com a situação mais vantajosa: quando a classificação do exame final nacional foi inferior à classificação interna da disciplina, o estudante usa apenas a classificação interna da disciplina no cálculo; quando a nota do exame final nacional foi igual ou superior à classificação interna da respetiva disciplina, deve utilizar-se a classificação final da disciplina.

Datas das candidaturas ao ensino superior

  1. A primeira fase do concurso decorre de 7 agosto a 23 de agosto.
  2. A segunda fase do concurso decorre de 28 de setembro a 9 de outubro.
  3. A terceira fase do concurso decorre de 22 de outubro a 26 de outubro.

Outros Conteúdos