C-Studio
Mais informações

C•Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do universo Cofina.
Aqui as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Viana do Castelo: tudo o que não pode perder na Romaria d’Agonia

Está a chegar a rainha das romarias. De 17 a 21 de agosto, Viana do Castelo enche-se de alegria. As Festas em Honra de Nossa Senhora d'Agonia são o expoente máximo das tradições, dos usos e costumes de Viana do Castelo. Depois de dois anos de saudade, a romaria regressa à grandiosidade habitual. Saiba tudo o que não pode perder na edição deste ano!

Arménio Belo
16 Agosto 2022 12:00

Viana do Castelo vive, por estes dias, a azáfama das Festas em Honra de Nossa Senhora d'Agonia, ponto alto da cultura e das tradições locais. São as pessoas, as memórias, a tradição, a fé e a alegria que formam o “coração” que todos os anos faz pulsar a maior romaria de Portugal. A festa vianense não é só para ser vivida, mas também para ser sentida e levada no coração.

Entrar na romaria é sentir as procissões, os desfiles, os festivais que compõem a festa, todos os anos, tornando-a verdadeiramente única. O Desfile da Mordomia é um dos destaques, que já é apelidado como a maior montra de ouro ao ar livre. E nem só do traje, com as várias cores consoante a freguesia e o estatuto, vive este desfile, já que o ouro que adorna a beleza destas mulheres é “obrigatório”, variando apenas a quantidade.



Arménio Belo


Arménio Belo


Arménio Belo


O fogo de artifício e a inesquecível serenata são outros momentos que cativam milhares e que apaixonam vianenses e visitantes, ano após ano. O folclore, os cabeçudos e gigantones ao som dos Zés P’reiras, o arraial espontâneo, as procissões e o cortejo são parte integrante de todo o programa que faz desta festa um dos ex-líbris da região.


Alfredo Cunha



Flávio Cruz


Flávio Cruz


Flávio Cruz





Uma festa secular que não para de crescer


As origens da Romaria d’Agonia remontam a uma via-sacra referenciada em documentos do século XV. Nesse local foi construída, em 1674, a Capela do Bom Jesus do Santo Sepulcro. A devoção surgiu em 1751, quando a imagem da santa entrou na capela, o que fez aumentar de forma considerável o número de promessas e ofertas, mantendo-se até aos dias de hoje como padroeira dos pescadores.

A igreja dedicada à santa começou a ser construída em 1774 e, nove anos mais tarde, a Sagrada Congregação dos Ritos concedeu licença para que todos os anos pudesse ser celebrada naquele local, a 20 de agosto, uma missa solene, dia que, ainda hoje, é feriado municipal.

Nos moldes próximos dos atuais, a festa surgiu em 1823 e o primeiro desfile do traje surgiu em 1906. Dois anos depois, o programa incluiu, pela primeira vez, a parada agrícola, antecessora do atual cortejo histórico-etnográfico. Em 1968, realizou-se a primeira Procissão ao Mar, outro dos números mais emblemáticos, com dezenas e dezenas de embarcações de pesca a levarem a imagem da padroeira ao mar e ao rio. Também a Feira Franca da festa é bem antiga, celebrando, nesta edição, os 250 anos de existência.



Arménio Belo


Flávio Cruz




Agenda Romaria de Nossa Senhora D'Agonia



A NÃO PERDER!


Sábado, 6 de agosto
Abertura da Feira de Artesanato da Romaria d’Agonia, 16h


Quinta-feira, 11 de agosto
Início das festividades religiosas em honra de N.ª Sr.ª d’Agonia, 21h


Quarta-feira, 17 de agosto
Encontro de Desgarradas e Cantares ao desafio, 22h, Praça da Liberdade


Quinta-feira, 18 de agosto
Desfile da Mordomia, 16h


Sexta-feira, 19 de agosto
• Procissão solene em honra de N.ª Sr.ª d’Agonia, 16h30
• Desfile “Vamos para o Festival”, 21h
• Festivais de Folclore, 22h, Palcos de Anfiteatro e Praça da Liberdade
• Início da confeção dos tapetes floridos, 23h, ruas da Ribeira



Sábado, 20 de agosto
• Eucaristia solene, 14h30, Santuário de N.ª Sr.ª d’Agonia
• Procissão ao Mar
• Desfile de grupos de Bombos e Cabeçudos, 21h
• Festa do Traje, 22h, Centro Cultural
• Fogo de artifício: “Fogo do Meio ou da Santa”, 24h


Domingo, 21 de agosto
• Revista de Gigantones e Cabeçudos, 12h, Praça da República
• Cortejo Histórico/Etnográfico, 16h
• Desfile “Vamos para a Romaria”, 21h
• Festival de Folclore, 22h, Palco do Anfiteatro
• Praça da Música, 22h, Praça da Liberdade
• Serenata, 24h



A VISITAR!

Viana do Castelo


É um concelho apaixonante, que conjuga de forma perfeita o tradicional e o moderno. É um território abençoado pelas belezas naturais proporcionadas pelo mar, rio e montanha, mas que beneficia de uma arquitetura inovadora, apresentando ofertas turísticas de qualidade e uma agenda cultural repleta de atividades, música, dança, exposições, festas e romarias, desporto, entre muito mais. Quem gosta vem, quem ama fica. Viana fica no coração!



• Praça da República

É o centro cívico de Viana do Castelo, assumindo-se como praça-rainha da cidade há já quinhentos anos. No topo nascente, reúne-se um emblemático tríptico monumental de elevado valor arquitetónico: o chafariz ao centro, rodeado pelo edifício da Misericórdia e os antigos Paços do Concelho, cuja construção teve lugar na primeira metade do século XVI.


• Santa Luzia e funicular


Este é ponto de paragem obrigatória para todos aqueles que visitam a cidade. Se subir ao zimbório, desfruta de uma das mais deslumbrantes paisagens do mundo. O templo é uma obra de 1898, de um dos arquitetos de maior projeção nacional e internacional à época, Miguel Ventura Terra, e um excelente exemplar da arquitetura revivalista. Para uma visita completa, sugere-se utilizar o funicular de Santa Luzia, que vence um desnível de 160 metros numa viagem de seis a sete minutos.


• Praça da Liberdade

Viana do Castelo concilia a arquitetura antiga com arquitetura contemporânea, proporcionando uma equilibrada junção do clássico com o moderno no centro histórico e envolvente da cidade. Na frente ribeirinha da cidade, destaque para a Praça da Liberdade de Fernando Távora, a Biblioteca Municipal de Siza Vieira e o Centro Cultural de Eduardo Souto Moura, três edifícios de autor que vieram enriquecer e diferenciar a Princesa do Lima.


• Praia Norte

A Praia Norte é uma praia urbana com extensas zonas pedonais, áreas de lazer e convívio, espaços para desporto, cafés e esplanadas que convidam a uma paragem para observar o mar.


• Parque Ecológico Urbano

Está situado em torno do espelho de água proporcionado pela caldeira das Azenhas de D. Prior e ocupa cerca de 20 hectares. Disponível para visita gratuita de terça-feira a domingo.


• Museu do Traje e núcleos museológicos

Criado em 1997, este museu assume a missão de estudar e divulgar a identidade e o património etnográfico vianense através do seu expoente máximo: o traje à vianesa. Alberga um excelente espólio de trajes e de ourivesaria tradicional, promovendo, valorizando e recuperando um valioso património concelhio. A visita tem um custo simbólico de €2 por pessoa ou €1 por pessoa em visitas de grupo. O bilhete dá acesso ao Museu do Traje e ao Museu de Artes Decorativas.


• Museu de Artes Decorativas

Instalado numa distinta mansão senhorial do século XVIII, este museu possui uma das mais importantes e valiosas coleções de faiança antiga portuguesa dos séculos XVII a XIX, que inclui diversas peças da famosa fábrica de louça de Viana. Além de um importante acervo de pintura, desenho e peças de arte sacra, destaca-se a bela coleção de mobiliário indo-português do século XVIII. Neste espaço é ainda possível descobrir o espólio da azulejaria portuguesa e hispano-árabe, único na sua variedade e riqueza.


• Navio-museu Gil Eannes

É o museu mais visitado da cidade. Construído nos antigos Estaleiros Navais de Viana do Castelo, em 1955, teve como missão apoiar a frota bacalhoeira nos mares da Terra Nova e Gronelândia. Em 1998, regressou à cidade onde foi construído para se tornar memória viva do passado marítimo e da construção naval da cidade e do país, assumindo funções de museu. A entrada tem um custo de €4,5 (bilhete individual), havendo a possibilidade de comprar um bilhete familiar a €10 (2 adultos acompanhados até 4 crianças menores de 16 anos). A entrada é gratuita para crianças até aos 6 anos (aplicado em contexto familiar e não em visitas institucionais).



• Teatro Municipal Sá de Miranda

Inaugurado no dia 29 de abril de 1885, trata-se de um teatro à italiana projetado por José Geraldo da Silva Sardinha, com a plateia em forma de ferradura e três ordens de camarotes, com capacidade de cerca de 350 lugares. O pano de boca foi desenhado por Luigi Manini e pintado por Hercole Labertini, cenógrafos do Teatro S. Carlos e o teto, uma imagem do céu em trompe-l’oeil, com retratos de dramaturgos, foi pintado por João Baptista do Rio.


• Centro Cultural de Viana do Castelo

Desenhado pelo arquiteto Eduardo Souto Moura, este centro cultural foi galardoado com o Prémio Pritzker. Situado junto ao rio Lima, está preparado para acolher eventos de grande dimensão, como festivais de música, concertos, cinema, congressos, exposições e feiras, recebendo ainda diversos eventos desportivos.



EXPERIÊNCIAS

Ecovias

As duas ecovias existentes oferecem experiências distintas, mas ambas de muita beleza natural. Junto à margem esquerda do rio, entre Deão e as Terras de Geraz do Lima, o Percurso das Veigas da Ecovia do Rio Lima desvenda recônditos e lugares inóspitos onde o silêncio predomina ao longo dos 5 km de extensão. Outra opção é o Percurso da Ecovia Litoral Norte, onde o som do mar e o cheiro intenso a maresia são o denominador comum ao longo dos 34 km.

Trilhos

A bem estruturada rede de trilhos permite que, pé ante pé, o caminhante vá ao encontro de si mesmo, através da relação com a natureza e com as comunidades locais. Os percursos existentes assumem-se como um excelente modo de conhecer o património cultural e natural vianense, além de promoverem o exercício físico e permitirem conhecer locais com paisagens deslumbrantes.

Cascatas

Por entre os trilhos de Viana, podemos encontrar riachos e cascatas refrescantes e com paisagens de inigualável beleza. Destaque para a Cascata do Pincho, na freguesia da Montaria, a Cascata do Pereiro e o Poço Negro, em Vilar de Murteda.


Arménio Belo


Desportos náuticos

Sendo Viana do Castelo uma cidade náutica, o desporto ligado ao rio e ao mar assume-se, cada vez mais, como a força motriz do turismo desportivo. Aproveitando a excelência dos quatro centros náuticos do concelho, o remo, a canoagem, o surf e a vela cativam cada vez mais os visitantes que escolhem a cidade e o concelho para a prática do desporto e a promoção de um estilo de vida saudável.


Arménio Belo


Arménio Belo



Gastronomia

Viana do Castelo está, desde sempre, ligada ao fiel amigo, o bacalhau. Da cidade partiam para a Terra Nova e Gronelândia os bacalhoeiros carregados de fé e com esperança numa boa faina. Além dos inúmeros pratos de bacalhau, dos quais se destaca o bacalhau à Viana, são também dignos de realce o peixe fresco e o marisco, sempre acompanhados do inigualável vinho verde. Para sobremesa, o destaque vai para a conventual torta de Viana.


Arménio Belo


Arménio Belo




Vinhos


Entre a beleza das paisagens e a riqueza do património, a Cultura do Vinho tem vindo a conquistar um sofisticado espaço no concelho, permitindo a manutenção de empresas com história e o surgimento de arrojadas marcas. Atualmente, nas Terras de Geraz do Lima existe uma oferta com algum significado de vinhos que apresentam caraterísticas próprias que os diferenciam dos restantes, sendo neste espaço geográfico que se situam produtores como Caroça Wine Yards, Sobrinho do Arcipreste, Solar de Merufe e Solar de Louredo. No entanto, noutras freguesias de Viana do Castelo também existem produtores com uma excelente produção, como a Casa da Reina, Phulia Wines e Vinhos do Abade.



António Homem Cardoso




"De 17 a 21 de agosto, os vianenses e visitantes podem esperar uma Romaria d’Agonia igual ao que sempre foi, a homenagear e a respeitar as nossas tradições, a valorizar o nosso trajar, a demonstrar a fé do nosso povo. Estas são festas preparadas pelos vianenses, a pensar nos vianenses e queremos que se mantenham sempre assim: simples, tradicionais, respeitosas e inigualáveis."


Luís Nobre, presidente da Câmara Municipal de Viana do Castelo






Este conteúdo foi produzido integralmente pela Câmara Municipal de Viana do Castelo