0
Pessoas
Março 24, 2014
Por que é que culpabilizamos tanto os nossos pais? Por que é que lhes atribuímos a culpa por aquilo que não nos orgulhamos de ser? É uma generalização, bem sei. Mas uma generalização que se torna necessária por me rodear de tanta gente que gasta a vida a apontar o dedo aos pais (sim, por vezes sucumbo também à armadilha). Haverá teorias psicológicas muitas sobre o assunto mas hoje não estou aqui para estender teorias.

Estou aqui antes de mais para deixar um comentário que encontrei num jornal inglês, feito por Ben Watt, aquela parte da banda Everything But The Girl que se apaga para deixar brilhar a discrição de Tracey Thorn. Ben encontrou as cartas secretas de amor trocadas entre os pais (o pai já morreu e a mãe está em processo de demência) e sentiu que mereciam a atenção da sua escrita. Queria conhecer os pais como pessoas.

Numa entrevista disse palavras simples, a propósito do lançamento desse livro, "Romany and Tom", mas que tantos de nós, filhos, temos dificuldade em dizer:

"When you are young you are going through your own golden years. Then you reach the point where you see you, too, have crested the hill. Perhaps that is when you reflect. You look at your parents for the first time and see that the people we judge are just ordinary human beings trying to do their best, altered by all the experiences they have had, so many of which we have never known, still fighting their way through just as you are."

Há quem, com alguma evidência, não saiba estar à altura das tarefas paternas. Mas acredito que a maior parte dos pais entra na categoria lembrada por Ben Watt: a de pessoas que se enganaram e se enganam quando nos educaram e que só querem ser felizes, como nós. Ao amadurecer, ao envelhecer, descobriu o código da caixa-forte da empatia e da gratidão. Quantos serão capazes dessa procura?

Nuno Costa Santos
Partilha o artigo
Enviar o artigo: Pessoas
Comentários

Comentários
Nome *
Email *
Localidade *
Anónimo
O seu comentário *
Está a submeter o seu comentário a esta notícia através do IP . Como não tem o login efectuado, o seu comentário está limitado a 300 caracteres e será alvo de moderação, pelo que não será publicado de imediato. Se comentar depois de efectuar login, beneficia de um conjunto de funcionalidades exclusivas para leitores registados.
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente.

Revista SÁBADO
Assine a revista SÁBADO
SÁBADO versão Epaper
A minha conta SÁBADO
Edição nº 566
5 de Março a 11 de Março
Copyright ©
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução, na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da PRESSELIVRE - Imprensa Livre, S.A., uma empresa Grupo Cofina Media SGPS, S.A..
Obrigado por ler a SÁBADO
;)
     
     
Para poder adicionar esta notícia aos seus favoritos deverá efectuar login
Caso não esteja registado no site do Record, efectue o seu registo gratuito.