Duas mortes e uma traição histórica
Duas mortes e uma traição histórica
  • Partilhe
Janeiro 11, 2017
Com o intervalo de um dia, a acabar 2016, morreram duas atrizes lendárias, ainda por cima mãe e filha. A 27 de dezembro, partiu Carrie Fisher, de 60 anos, a Princesa Leia de quatro décadas de Guerra das Estrelas, vitimada por um ataque cardíaco, em pleno voo, quando regressava de Londres à sua casa de Beverly Hills, Los Angeles. No dia seguinte, deixou-nos a mãe, Debbie Reynolds, de 84 anos – inesquecível intérprete, com outra lenda do cinema, Gene Kelly, do clássico Dançando à Chuva (1952) – que sofreu um derrame cerebral enquanto preparava o funeral da filha.

Este drama transportou-nos ao que que ocorreu em 1959 e unia as agora desaparecidas, quando o marido de Debbie, o cantor Eddie Fisher – que morreria em 2010 – abandonou a mulher e os filhos, Todd e Carrie, de 1 e 3 anos, para se casar com a melhor amiga de Debbie, a atriz Elisabeth "Liz" Taylor (1932-2011). Dada a escândalos e devastada pela morte, num acidente de aviação, do terceiro marido, o produtor Mike Todd, grande amigo de Eddie – que deu o seu nome ao filho – Liz encontrou conforto nos braços de Eddie, fazendo as delícias dos tablóides.

Nem sempre se pagam as que cá se fazem, é certo, mas em 1962, durante a rodagem de Cleópatra, em Itália, La Taylor traiu Eddie com o actor Richard Burton, que viria a ser o quinto dos seus sete maridos. Anos depois, Debbie e Liz reataram a velha amizade e fizeram até uma peça em que ridicularizavam Eddie... Outros tempos, a mesma gente.

Eddie Fisher
Fez nome na música mas foi um profissional da sedução
Filho de imigrantes russos, Eddie Fisher nasceu em Filadélfia, em 1928, começou cedo a tocar em bandas e serviu no exército dos EUA. Como cantor, obteve grande sucesso no início dos anos 50, com dezenas de canções nos tops. Depois de Debbie e Liz, casou-se mais três vezes, mas no currículo amoroso tinha nomes como Edith Piaf, Kim Novak, Mia Farrow ou Zsa Zsa Gabor – também desaparecida no final do ano. E foi a filha, Carrie, quem juntou, mais tarde, uma novidade à lista: a princesa Margarida de Inglaterra, irmã da rainha, que teve, aos 22 anos, um caso com o pai...
Partilha o artigo
Enviar o artigo: Duas mortes e uma traição histórica
Comentários

Comentários
Nome *
Email *
Localidade *
Anónimo
O seu comentário *
Está a submeter o seu comentário a esta notícia através do IP . Como não tem o login efectuado, o seu comentário está limitado a 300 caracteres e será alvo de moderação, pelo que não será publicado de imediato. Se comentar depois de efectuar login, beneficia de um conjunto de funcionalidades exclusivas para leitores registados.
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente.

nas redes
Segue Sábado.pt
Revista SÁBADO
Assine a revista SÁBADO
SÁBADO versão Epaper
A minha conta SÁBADO
Edição n.º 664
19 a 25 de Janeiro
Copyright ©
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução, na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media, uma empresa Grupo Cofina Media SGPS, S.A..
nas redes
amigos
120591 amigos
Dispositivos
Obrigado por ler a SÁBADO
;)
     
     
Para poder adicionar esta notícia aos seus favoritos deverá efectuar login
Caso não esteja registado no site do Record, efectue o seu registo gratuito.