António Victorino d'Almeida: "Nos concertos da Gulbenkian cheira a mofo" (vídeo)
É a cara da Optimus e diz ser mais popular do que Mário Soares
0
António Victorino d'Almeida: "Nos concertos da Gulbenkian cheira a mofo" (vídeo)
É a cara da Optimus e diz ser mais popular do que Mário Soares
  • Partilhe
0
António Victorino d'Almeida: "Nos concertos da Gulbenkian cheira a mofo" (vídeo)
Por Lucília Galha e imagem de Bruno Vaz

A ideia foi do próprio: “Aguento muito tempo debaixo de água, quer ver?” Quando dei por isso já o maestro estava a tapar o nariz com o polegar e o indicador e a mergulhar para o fundo da piscina. Passados 30 segundos começaram a ver-se bolhinhas de ar, mas só ao fim do segundo 46 é que se rendeu e pôs a cabeça fora de água. Primeira observação ao ouvir o resultado: “Ah, na banheira consigo chegar a um minuto!” Na verdade, este era já o segundo desafio de António Victorino d’Almeida.

O primeiro tinha sido lançado pela SÁBADO duas semanas antes: dar um mergulho na praia de Moledo – o sítio onde passa férias desde pequeno. Mas as coisas não correram como planeado. Primeira razão: a temperatura da água. “Quem vai àquela água só tem duas hipóteses, ou morre ou fica pronto para tudo”, respondeu a medo, mas disposto a correr o risco. Segunda: depois de agendado o mergulho na praia, piorou de uma artrose na perna direita e o médico proibiu-o de entrar em águas frias.

A alternativa encontrada foi a piscina interior aquecida do Hotel Porta do Sol, em Caminha, onde costuma dar umas braçadas. O maestro chegou 10 minutos antes da hora marcada, vestido com umas calças cremes, camisa branca, pulôver verde e sapatos de vela. Na mão direita trazia uns calções de banho pretos. Apesar de já passar do meio-dia, ainda tomou o pequeno-almoço (um queque e um galão) antes de entrar na água. Na noite anterior tinha estado acordado até às 3h30 da manhã. Motivo: um concerto. “Não gosto de dizer música clássica, é um adjectivo estúpido que não quer dizer nada.” Há nove anos que organiza concertos nas aldeias do concelho de Caminha. São sempre à segunda-feira.

Leia a reportagem completa na SÁBADO desta semana.

António Victorino d'Almeida: "Nos concertos da Gulbenkian cheira a mofo" (vídeo)
Partilha o artigo
Enviar o artigo: António Victorino d'Almeida: "Nos concertos da Gulbenkian cheira a mofo" (vídeo)
Comentários

Comentários
Nome *
Email *
Localidade *
Anónimo
O seu comentário *
Está a submeter o seu comentário a esta notícia através do IP . Como não tem o login efectuado, o seu comentário está limitado a 300 caracteres e será alvo de moderação, pelo que não será publicado de imediato. Se comentar depois de efectuar login, beneficia de um conjunto de funcionalidades exclusivas para leitores registados.
Inicie sessão ou registe-se gratuitamente.

nas redes
Segue Sábado.pt
Revista SÁBADO
Assine a revista SÁBADO
SÁBADO versão Epaper
A minha conta SÁBADO
Edição n.º 630
25 de Maio a 1 de Junho
Copyright ©
Todos os direitos reservados. É expressamente proibida a reprodução, na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Cofina Media, uma empresa Grupo Cofina Media SGPS, S.A..
nas redes
amigos
101622 amigos
Dispositivos
Obrigado por ler a SÁBADO
;)
     
     
Para poder adicionar esta notícia aos seus favoritos deverá efectuar login
Caso não esteja registado no site do Record, efectue o seu registo gratuito.