Você está em:Pessoas

Vídeos

Entrevista

“Este ano acordei e adormeci muitas vezes a pensar na vida”

25-11-2014

Veja o vídeo da entrevista a José Alberto Carvalho

Por Dulce Garcia, com imagem de Marisa Cardoso e edição de Miguel Graça

Tem um problema com o tempo, mas é simpático o suficiente para que lhe seja perdoado o adiamento da entrevista em três horas e depois o atraso em mais de uma hora. Contas feitas, depois de pedir desculpa várias vezes e de ajudar a levantar as chávenas do café, aguenta duas horas e meia de entrevista sem um ‘ai’. No fim, tem 17 chamadas não atendidas no iPhone e teme o pior. “Vou ser despedido.” Não parece. Está seguro na TVI como pivô do Jornal das 8 e agora presidente do Comité Editorial da estação, onde trabalhará no reforço de conteúdos de informação e opinião. É o fim de um ano horrível, como o próprio classifica, marcado pela morte de amigos próximos, pelo ambiente hostil na redacção da TVI e por muito cansaço. Mas também pelo lançamento do livro que o traz ao York House, em Lisboa, numa sexta-feira à tarde. Garante que '28 Minutos e 7 Segundos de Vida' não se resume a uma versão em papel do programa que fez com Manuel Forjaz. Juntou-lhe novos textos que obrigam a uma reflexão básica para quem andou tanto tempo a pensar na morte: o que é que andamos a fazer da vida?

Lembra-se do dia em que conheceu Manuel Forjaz?
Foi há muitos anos, quando ainda trabalhava na SIC. Não sei se foi numa festa ou num corredor, na altura ele trabalhava no grupo. Sei que a primeira imagem que tenho do Manuel é a de uma pessoa esfuziante com a vida. Alguém com um sorriso pronto. Só duas vezes olhei para ele e não lhe vi um sorriso.

Mas nessa altura ele era yuppie.
Era. Sempre tivemos algumas divergências, mesmo durante o programa. Por exemplo, embirro com a palavra empreendedor, que ele adorava. Dizia-lhe: “Ó Manuel, empreendedor é uma palavra tonta”. Dá logo vontade de não fazer nada. Nós precisamos é de pessoas que façam. Não temos a cultura dos anglo-saxónicos ou dos nórdicos; temos uma cultura um pouco histriónica, discutimos muito e fazemos pouco. E temos opinião sobre tudo.

Por exemplo, eu confesso que não tenho nenhuma opinião sobre o TGV, que é um dos temas que mais tempo de discussão ocupou no espaço público português na última década. Já li imenso sobre o assunto, fiz programas, ouvi e li dezenas de argumentos técnicos mas não consigo chegar a uma opinião.

Leia a entrevista completa a José Alberto Carvalho na SÁBADO de 20 de Dezembro.

Deixar Comentário

Por favor faça Login/Registo para comentar este artigo.

comentários

Mais pessoas





Copyright ©. Todos os direitos reservados. É expressamente proíbida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Edirevistas, S.A. , uma empresa Cofina Media, SGPS. Consulte as condições legais de utilização.