Você está em: Homepage / Crónicas / Cristina Fernandes e Susana Casanova / Saber estar

Aprenda a "saber estar"


A expressão “saber estar” e comummente utilizada em diversos âmbitos e circunstâncias. Ao ser ouvida, ou lida, é, então, interpretada por cada um à luz das suas próprias circunstâncias.

Alguns acham que “saber estar” é um comportamento inatingível e maçador, prerrogativa de uma minoria privilegiada pelo estatuto social ou pela fortuna. Outros, julgo eu mais sensatos, sabem que o “saber estar” é uma postura que deve ser assumida por cada um, não só na vida social como, sobretudo, na vida profissional, onde o percurso académico e a experiência podem já não ser garantia de colocação e/ou sucesso.

Em meu entender, “saber estar” é uma atitude global que resulta, em primeira instância, do “saber ser” e que se poderá, de forma muito sintetizada, descrever-se da seguinte forma:

- Basear as relações interpessoais no respeito: pelo outro, pelas suas circunstâncias, pela sua forma de ser, pelo seu espaço, pelo seu tempo.
- Actuar de boa fé e de acordo com princípios éticos, sem preconceitos nem falsos moralismos.
- Aceitar a diferença.
- Evitar julgar, não difamar nem alimentar bisbilhotices.
- Agir sempre com base nos mais elementares princípios de boa educação e cortesia: saber saudar e cumprimentar, ser pontual, respeitar regras e normas de convivência.
- Falar e escrever correctamente do ponto de vista semântico e gramatical, ajustando a linguagem ao contexto comunicacional.
- Cumprir com correcção o papel de convidado ou anfitrião, em ambiente social e profissional, num contexto nacional e internacional.
- Manter sempre presente o princípio universal de que tudo comunica, atentando não só à comunicação verbal, como também à linguagem não-verbal. Sobretudo neste aspecto, a coerência é fundamental.
- Cuidar da imagem visual, adequando-a à compleição física, à idade, ao estatuto social e profissional, ao ambiente, à hora do dia, à estação do ano. Não abdicar de se sentir bem dentro da roupa usada.
- Evitar fazer perguntas embaraçantes, não recorrer a temas de conversa constrangedores nem inundar os outros com problemas e desgraças pessoais.
- Saber ouvir, dar espaço aos demais para que se expressem, não monopolizar a conversa.
- Cuidar da imagem em ambiente digital e ter muito presente as regras que regem o mundo web.
- Em ambiente social, conceder a precedência de acordo com critérios de género e idade e em ambiente profissional de acordo com critérios de hierarquia e estatuto.
- Optar por comportamentos social, ambiental e economicamente responsáveis.
- Aumentar a apetência por produtos “green” e pelo acto de reciclar, pois o planeta “agradece” e, cada vez mais, existe a consciência de que é imprescindível.
- Privilegiar o muito bom atendimento porque para o cliente, quem atende representa a empresa e/ou marca. Também no atendimento, a honestidade e a transparência são valias valiosíssimas.
- Sentir a ostentação como uma afronta, pois tendo em conta a realidade universal, a exibição e o novo-riquismo tenderão a ser, cada vez mais, socialmente mal aceites.

Cristina Marques Fernandes
http://protocolopt.blogspot.com


Comentários

Outras Crónicas





Copyright ©. Todos os direitos reservados. É expressamente proíbida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Edirevistas, S.A. , uma empresa Cofina Media, SGPS. Consulte as condições legais de utilização.