Você está em: Homepage / Arquivo / Ultima Hora / Sociedade / CP: adesão à greve é "quase total"

Notícias » Sociedade

Alterar tamanho de letra

Sociedade

CP: adesão à greve é "quase total"

06-03-2013, por Correio da Manhã

1 de 1 notícias em Sociedade

Estão a funcionar apenas os serviços mínimos

O coordenador da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans), José Manuel Oliveira, disse esta quarta-feira que a adesão à greve dos trabalhadores da CP está a ser "significativa, quase total", cumprindo-se apenas os serviços mínimos.

"Os comboios que estão a circular são os que estão inseridos nos serviços mínimos. Neste momento, tirando isto [serviços mínimos] a adesão é total. Todo o serviço comercial da CP está encerrado, as bilheteiras e só há meia dúzia de comboios a circular inseridos nos serviços mínimos", disse, num balanço feito à Lusa às 07h00.

José Manuel Oliveira adiantou que os resultados que possui neste momento dizem respeito ao turno que começou às 22h00 de terça-feira.

"Quanto aos comboios de mercadorias, regista-se uma paralisação total desde as 00h00 uma vez que aqui não há serviços mínimos", adiantou.

Na opinião de José Manuel Oliveira, a situação ao longo do dia "deverá manter-se igual, ou seja, serão efectuados apenas os serviços mínimos", referiu.

Também fonte da CP disse esta manhã à agência Lusa que os serviços mínimos estão a ser cumpridos, tendo circulado até às 06h00, 29 comboios por todo o País, incluindo dois urbanos em Lisboa e um em Coimbra.

A greve da CP está inserida numa semana de luta dos trabalhadores do setor dos transportes que se prolonga até sábado, estando prevista a realização de vários plenários e paralisações em várias empresas públicas e privadas.

Além da CP, também os trabalhadores da Scotturb, rede de transporte nos concelhos de Cascais, Oeiras e Sintra, aderem hoje ao protesto com um dia de paralisação.

A Carris junta-se à semana de luta da Fectrans com um plenário de trabalhadores reformados em frente ao Ministério da Economia, na quinta-feira, às 10h00.

Na sexta-feira, a paralisação afecta a Transportes Sul do Tejo (TST), com plenários no Laranjeiro, Setúbal, Sesimbra e Montijo, e a Rodoviária de Lisboa, com concentração junto à administração da empresa.

A semana de luta termina no sábado com uma manifestação nacional, com concentração no Largo Camões, às 14h30, até à Assembleia da República.

Comentários





Copyright ©. Todos os direitos reservados. É expressamente proíbida a reprodução na totalidade ou em parte, em qualquer tipo de suporte, sem prévia permissão por escrito da Edirevistas, S.A. , uma empresa Cofina Media, SGPS. Consulte as condições legais de utilização.